ABOZ - Associação Brasileira de Ozonioterapia
ABOZ no Facebook ABOZ no Instagram

Biblioteca

Intraperitoneal Administration of Oxygen/Ozone to Rats Reduces the Pancreatic Damage Induced by Streptozotocin

Tipo de Estudo: Experimental, randomizado, ensaio clínico controlado. Resumo: O modelo de rato com lesão pancreática induzida por estreptozotocina (STZ) foi usado para examinar se uma mistura sistêmica de oxigênio / ozônio poderia ser benéfica para o pâncreas, reduzindo a maquinaria dos mediadores locais prejudiciais liberados pela STZ. Um total de cinco grupos foram formados. Um grupo consistiu em cinco ratos que receberam apenas tampão citrato (CTR), sem a administração de STZ, servindo como controlo para o grupo que recebia apenas STZ. Não houve diferenças entre este grupo controle com o grupo controle tratado apenas por O 2. Resultados: Os resultados mostraram que a administração de oxigênio / ozônio (150 µg / Kg) por dez dias em ratos STZ aumentou a enzima glutationa s-transferase (GST) endógena e o Nrf2 do tecido pancreático, em conjunto com a redução de 4-hidroxinonenal (4-HNE) e a PARP-1 em comparação com os ratos que receberam STZ O2. Curiosamente, essas alterações resultaram em níveis mais altos de insulina sérica e leptina e imunocoloração pancreática de glucagon. Consequentemente, o metabolismo da glicose melhorou, conforme evidenciado pelo monitoramento da glicemia ao longo do tempo. Conclusões: Este estudo fornece evidências de que a administração sistêmica de oxigênio - ozônio reduz o mecanismo de mediadores prejudiciais liberados pela STZ no pâncreas com menos dano local e melhor funcionalidade. O tratamento com ozônio melhora a sobrevida das células pancreáticas. Isto foi exercido através do aumento das enzimas endógenas Nrf2, GST e a consequente redução dos níveis de 4-HNE e PARP-1 nos tecidos pancreáticos. Essa redução resulta em níveis mais altos de insulina e leptina e a consequente melhoria do metabolismo da glicose. Do ponto de vista da tradução, esta última melhora pode ser benéfica na prevenção de danos em longo prazo aos órgãos induzidos pelo diabetes.

Autor: Siniscalco, D., Trotta, M.C., Brigida, A.L., Maisto, R., Luongo, M., Ferraraccio, F., D’Amico, D., Di Filippo, C.

Revista: Biology, Volume 7, n.º 1, Edição 10. Março de 2018.

Voltar ao topo